Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Uma bicicleta a cada dois australianos | Bagarai

Uma bicicleta a cada dois australianos | Bagarai

O trabalho conduzido pelo governo da Austrália para incentivar o uso de bicicletas como meio de transporte tem surtido efeito – entre 2000 e 2010, os australianos compraram mais de 11 milhões de bicicletas, de acordo com o Australian Bureau of Statistics. Pesquisa Pedal Power mostra que australianos adquiriram 11 milhões de bicicletas em dez anos

Milhares de cicloativistas brasileiros têm reivindicado mais espaço, segurança e investimentos em infraestrutura.
Pesquisa Pedal Power mostra que australianos adquiriram 11 milhões de bicicletas em dez anos (divulgação)
Pesquisa Pedal Power mostra que australianos adquiriram 11 milhões de bicicletas em dez anos (divulgação)
Em São Paulo há 154 quilômetros de faixas para bicicletas, sendo 48 quilômetros compostos por rotas com identificação de fluxo de ciclistas – insuficiente para uma cidade com déficit de meios de transporte. A situação é diversa em países como a Austrália, no qual um plano estratégico governamental tem incentivado a população a usar a bicicleta como meio de transporte. Entre 2000 e 2010, os australianos compraram mais de 11 milhões de bikes – contra os 9 milhões de veículos vendidos no mesmo período – de acordo com o Australian Bureau of Statistics. Há uma bicicleta para cada dois habitantes da Austrália. A análise compõe o estudo Pedal Power, destaque do LS:N Global (LifeStyle News Network) – portal internacional da The Future Laboratory. No Brasil, o portal é parceiro exclusivo da Voltage, agência produtora de insights aplicáveis ao negócio.
Segundo Paulo Al-Assal, diretor-geral da Voltage, a análise do estudo Pedal Power ilustra a importância de uma cultura plural e democratizada. “Antes da definição do plano estratégico do governo, o ciclismo era visto como uma prática da esquerda ambiental; um passatempo das famílias; um esporte. Hoje, após uma década de investimentos efetivos, o ciclismo é associado a um método de locomoção entre as cidades da Austrália”, avalia Al-Assal, um dos principais especialistas de tendências do Brasil. O impacto desse novo life style tem reflexos na economia por meio do surgimento de produtos e serviços para atender o consumidor ciclista. A marca streetwear Perks lançou uma coleção inteiramente voltada para dar conforto aos ciclistas – calças com cortes especiais (afuniladas nos tornozelos para evitar a fricção contra a bicicleta); modelos com velcro ou elásticos. Designers da marca Ky Starcevich criaram guidões de bicicleta de madeira. “Trata-se do surgimento de novas atividades comerciais em torno desse new ciclismo”, afirma Al-Assal.
Com o compromisso de tornar o ciclismo uma escolha tão atraente como caminhar ou usar o transporte público, governos como o de Sydney iniciaram a construção de uma rede de ciclovias urbanas para interligar cidades. Embora a conclusão da rede esteja prevista para 2017, as ciclovias já construídas passaram a influenciar o varejo local, contribuindo para a expansão da atividade comercial nas cidades de Bourke Street, Surry Hills e Sydney. Com o constante trânsito de bikes, surgiram novos restaurantes e butiques para ciclistas.
Os turistas também estão “descobrindo” o Pedal Power na Austrália. Na plana Melbourne – onde é possível, inclusive, alugar bicicletas vintage – o governo financiou a publicação do Guia do Ciclista Casual, com o objetivo de auxiliar os turistas que desejam conhecer a cidade em duas rodas.
http://bagarai.com.br/uma-bicicleta-a-cada-dois-australianos.html

'via Blog this'

Nenhum comentário:

Postar um comentário