Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 28 de abril de 2012

Nova moda do turismo são roteiros sendo feitos com bicicletas


Nova moda do turismo são roteiros sendo feitos com bicicletas

Cicloturismo pela Europa e América tem ganhado cada vez mais adeptos do mundo todo. Há roteiros diferenciados e que agradam a todos os gostos
Cicloturismo pela Europa e América tem ganhado cada vez mais adeptos do mundo todo. Há roteiros diferenciados e que agradam a todos os gostos



Marcelo Lapola


Tendo o céu e a paisagem deslumbrante como testemunhas, o casal contorna algumas pequenas ruas em algum lugar entre a fronteira da Alemanha com a Áustria.


O vento no rosto e o doce spray de um orvalho que começa a cair de manhãzinha tornam o passeio ainda melhor. Parecem ouvir a mesma música, ainda que o silêncio só seja cortado pelo suave barulho das rodas das bicicletas girando no asfalto da ciclovia. Após novos contornos e curvas, surge o momento mágico. No berço da música erudita, nada pode ser mais romântico que fazer um passeio de bicicleta até as margens do Rio Danúbio. Florestas, vales rochosos e montanhas de granito, num trajeto entremeado de excelentes hotéis e restaurantes e muitos quilômetros de ciclovias. O Danúbio de bicicleta é apenas uma entre uma infinidade de opções de passeios em duas rodas e pedais pela Europa.


Do glamour de um pequeno vilarejo suíço às vielas na rota dos castelos na Inglaterra, os passeios de bicicleta são cada vez mais procurados por turistas que querem fugir do convencional.


Segundo meio de transporte mais usado pelos europeus, a bicicleta proporciona, a sensação de liberdade, o encontro inusitado com o outro e o contato íntimo com as paisagens e seus aromas, climas e cores. “É uma dimensão de espaço e tempo em que não se lida com a sequência cronológica dos fatos, e sim com a descoberta de significados ao longo do caminho. Nada disso pode ser sentido de dentro de um carro”, diz João Carlos da Silva Manto, um dos adeptos do cicloturismo europeu.


Em sua última viagem, ele passou quatro dias pedalando pela região da Provence, na França, com a esposa, em maio do ano passado. Os dois não se hospedaram em albergues nem passaram à base de pão com queijo como fazem os mochileiros. Dormiram em hotéis de luxo e comeram em ótimos restaurantes. “É uma combinação de exercício, cultura e gastronomia”, completa João Carlos.



TEMPORADA


Os países mais procurados pelos brasileiros são França e Itália, entre maio e outubro, quando o clima ameno é propício para atividades ao ar livre. Com um relevo plano e 5.600 quilômetros de rotas para ciclistas, a França é o que recebe maior quantidade de visitantes. Os mais bem preparados fisicamente podem arriscar aventuras de mountain bike nos Alpes franceses.


E a prática não é restrita à Europa. A operadora canadense Butterfield & Robinson, especializada em ciclismo com luxo, revela opções de mais de oitenta roteiros em todo o mundo. De mosteiros isolados no Butão a pedaladas ao lado de zebras e antílopes na África do Sul.


Agências de viagens têm se adaptado à crescente cultura do turismo em bicicleta e sinalizam crescimento no nicho. Na Auroraeco, de São Paulo, cujos roteiros de bicicleta foram implantados em 2002, a procura aumentou 45% de 2009 a 2011. “Somos procurados por quem tem o hábito de pedalar e quer introduzir parceiros e filhos na prática, mas quer poupá-los de ter que carregar peso e dormir em albergues”, diz o consultor Guilherme Padilha.


Um passeio por Provence, por exemplo, sai em média 3,5 mil dólares por pessoa na parte terrestre. A agência fornece as bicicletas de 21 marchas e capacetes. Pedala-se entre 30 e 40 quilômetros por dia, com intervalos, uma van de apoio leva as bagagens e conduz os ciclistas que se cansam durante o percurso. A hospedagem é feita em hotéis de luxo.


Contemplando, vivendo e fazendo parte de paisagens tão maravilhosas, difícil mesmo é pensar em cansaço. Entre os roteiros mais procurados para se fazer Cicloturismo na Europa estão: Lago de Annecy, na França; Rota dos castelos entre Newcastle, na Inglaterra; Caminhos ao longo do Danúbio; Frederiksberg a Copenhague, na Dinamarca; As Portas do Sol, na divisa da França com a Suíça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário