Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 9 de março de 2012

Ciclista catadora entra para Ufes com ajuda de livros encontrados no lixo


Ciclista catadora entra para Ufes com ajuda de livros


 encontrados no lixo


A nova aluna da universidade federal tem 41 anos e passou 20 anos longe da sala de aula. Ercília concluiu o ensino médio dividindo tempo entre o estudo e a lida de recolher sucata com o marido.


 No mundo todo, os países que mais avançaram foram os que se convenceram do poder transformador da educação. No Espírito Santo, o repórter André Junqueira encontrou uma trabalhadora que também pensa assim.
A entrada para um universo cheio de novidades e conhecimento foi cercada de emoção. “Na hora que desci do ônibus e coloquei o pé direito, falei: ‘Meu Deus, estou dentro da Ufes’”, conta Ercília Mozer.

A nova aluna da universidade federal tem 41 anos. Ercília ajuda o marido a recolher sucata e vender para o ferro velho. Foram 20 anos longe da sala de aula. Até que ela viu, durante mais um dia de trabalho pesado, o anúncio de uma chance no muro de uma escola. “Na hora que olhei o cartaz estava escrito: ‘inscrição para o EJA’, que é educação de jovens e adultos”m, lembra.
“O sonho dela era se formar, então o que eu pude fazer foi falar para ela ir em frente”, diz o marido Everaldo Teixeira.
Ela seguiu adiante. Mas, de casa para a escola, na cidade de Serra, na Grande Vitória, era uma hora de caminhada. O filho pequeno não poderia ficar sozinho. Não era fácil para Breno. “Eu ficava cansado! Muito cansado”, confessa o menino.
A bicicleta acoplada ao carrinho para transportar sucata virou solução. “Quando eu comecei a pedalar, me senti muito feliz”, ela revela.

Ercília concluiu o ensino médio dividindo tempo entre o estudo e a lida de recolher sucata com o marido. Foi aí que ela percebeu que poderia ir ainda mais longe. Ercília e Everaldo encontraram livros de biologia, de matemática e muitos outros no lixo. Eles não quiseram saber de jogar fora essa oportunidade.

Foram madrugadas de estudo. Não teve livro sem proveito. “Por eu não ter acesso a esse mundo de internet, eu tive que contar com os livros”, destaca Ercília.

Nesta segunda-feira (5), a aluna do curso de artes plásticas na federal do Espírito Santo se juntou aos outros calouros.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário