Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 8 de março de 2011

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

MULHERES NO PEDAL
No ciclismo as mulheres provam mais uma vez que existe pouca diferença entre elas e os homens. Cada vez mais a ala feminina adere às pedaladas e mostra que não existe sexo frágil. Elas usam a bicicleta como meio de transporte, treinam e fazem passeios nos mesmos grupos que os homens e muitas vezes não há distinções de percurso mesmo em provas de competição.

Bicicletas e acessórios para o público feminino
Durante muitos anos, as mulheres que praticavam ciclismo eram obrigadas a se adaptarem aos equipamentos feitos exclusivamente para o universo masculino. Hoje, este cenário mudou e grandes fabricantes produzem acessórios para o público feminino que vão muito além dos detalhes cor-de-rosa. Tudo é pensado e desenvolvido para propiciar maior conforto e desempenho para a mulher na prática do esporte.

“Principalmente nos últimos dois anos, percebemos na indústria do vestuário uma atenção especial para a mulher que decide pedalar”, conta Sirlei. O mercado dispõe de itens como bermudas com forro especial, camisas de ciclismo com bolsinhos para chave, celular e documento.

Outra mudança disponível nas bikes femininas são os selins, que são mais largos para se adaptarem melhor aos quadris femininos. Eles possuem depressões e estrutura para evitar desconfortos, assaduras e dormências.

Cycle Chic: bicicleta com elegância
Nada de roupas esportivas ou visual largadão para pedalar. A bike também pode combinar com o estilo de cada um: desde o visual para o trabalho de cada dia, um passeio num domingo de sol ou uma balada no fim de semana. Os adeptos do cycle chic aliam pedal e estilo, usando roupas pedaláveis - bonitas e confortáveis. Nada de roupas de praticar esporte. A ideia é encarar o trânsito de bike e chegar aos compromissos vestido do mesmo jeito que estaria se tivesse ido de carro, ônibus, táxi ou a pé.

O movimento surgiu em 2006 na Dinamarca, onde foi criado o blog Copenhagen Cycle Chic (www.copenhagencyclechic.com/). A ideia era mostrar como as pessoas se vestiam para andar de bicicleta na capital mundial do ciclismo. Desde então, surgiram vários blogs do gênero por todo o mundo, mostrando que é possível aliar moda e pedais.

Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de Março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por "Pão e Paz" - por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a ideia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto.
No Ocidente, o Dia Internacional da Mulher foi comemorado no início do século, até a década de 1920.
Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propagandapartidária.
Nos países ocidentais, a data foi esquecida por longo tempo e somente recuperada pelo movimento feminista, já nadécada de 1960. Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre suas empregadas.
1975 foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em Dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres, mas também a discriminação e a violência a que muitas delas ainda são submetidas em todo o mundo.[1]

fonte : wikipedia


Nenhum comentário:

Postar um comentário