Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 28 de junho de 2012

De bicicleta, cabeleireiro oferece salão itinerante em Porto Alegre



De bicicleta, cabeleireiro oferece salão





 itinerante em Porto Alegre



Jair Bueno usa bicicleta para puxar salão de beleza móvel criado por ele.
Clientela fiel elogia a praticidade e o preço em conta do serviço.



Jair Bueno pedala na subida de um rua da Zona Sul de Porto Alegre (Foto: Roberta Lemes/G1-RS)Jair Bueno oferece serviços de corte de cabelo usando a bicicleta (Foto: Roberta Lemes/G1)













A cena é inusitada. O cabeleireiro Jair Bueno, 41 anos, percorre as ruas da Zona Sul dePorto Alegre em uma bicicleta com um salão de beleza móvel acoplado, oferecendo seus serviços a plenos pulmões. Várias cabeças se viram, curiosas. Alguns experimentam a novidade. E é assim, num esforço diário como profissional itinerante, que Bueno sustenta a casa onde vive com a mãe aposentada, no Bairro Glória, também na capital do Rio Grande do Sul.
Com banquinho, espelho, máquina, navalha e tesoura, ele atende a domícílio em bairros como Serraria, Guarujá e Vila Nova desde 2008, quando perdeu o emprego em um salão de Alvorada, na Região Metropolitana. "Estava lá há 12 anos, mas o chefe ficou doente e fechou a sala. Depois disso, não consegui outro trabalho", recorda.
Observando os vendedores de rua que costumam passar pelo lugar onde mora, veio a ideia. "Ouvia pessoas oferecendo ovos, abacaxi, e achei que deveria fazer o mesmo com os meus serviços". Assim, projetou o carrinho, onde cabem todos os seus apetrechos, e mandou fazer em um amigo serralheiro por cerca de R$ 2 mil. A velha bicicleta serve para puxar a estrutura de quase 70 quilos, faça chuva ou faça sol.
"No início foi difícil, tinha vergonha e cansava demais. Agora já me acostumei. Vou aos lugares onde já tenho clientes e anuncio no grito. Todo mundo sabe que estou chegando", brinca ele, que também já tira de letra o trânsito de ruas e avenidas movimentadas de Porto Alegre. Diariamente, ele chega a percorrer mais de 30 quilômetros pedalando.
O cabelereiro diz que consegue tirar até R$ 1,5 mil por mês e nem pensa em voltar ao estilo tradicional de trabalho. Talvez, mais para frente, compre uma moto. "O pessoal me elogia muito, porque trabalho domingos e feriados, quando os outros não atendem. E isso me incentiva. É melhor ser autônomo."
Cliente fiel
Corte de cabelo rua Porto Alegre (Foto: Roberta Lemes/G1)O frentista Denis da Silva D'Ávila é cliente há
três anos (Foto: Roberta Lemes/G1)
O frentista Denis da Silva D'Ávila, 30 anos, é cliente fiel há três anos. "É o melhor corte que já tive na vida", conta. O atendimento foi feito em menos de 20 minutos, no posto de combustíveis em que ele trabalha, durante o intervalo. "É muito prático, não preciso nem perder tempo com o deslocamento", comemora o rapaz, que é torcedor do Inter e não deixou de usar uma capa do time do coração durante o processo.
Aliás, para homenagear gremistas e colorados, um mural na parte externa do carrinho-salão traz imagens dos cliente que registraram a paixão pelo clube com desenhos no couro cabeludo.
Os cortes de Bueno custam entre R$ 5 (masculino) e R$ 10 (feminino). Cortes com desenhos especiais também custam R$ 10.


Nenhum comentário:

Postar um comentário