Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Dicas para quem gosta de pedalar durante a noite.



Há uma série de coisas que todo ciclista urbano tem de estar atento. Afinal, não são apenas os motoristas que tem de seguir as leis. Deve-se andar preferencialmente nas bordas da pista e na mesma direção dela, a não ser que haja ciclovia ou ciclofaixa; nesse caso, é obrigatório que o ciclista pedale na via dedicada a ele. Lembre-se também que as bikes com aro superior a 20” devem ter espelho retrovisor no lado esquerdo do guidão. A campainha também é imprescindível.
Mas, especificamente no caso do ciclismo noturno, a sinalização tem sua importância maior. Visibilidade é o termo chave aqui, pois é a melhor forma de se assegurar segurança. E, por isso, esse é o nosso objetivo.
Por mais que seja raro que você pedale à noite, não deixe de seguir as instruções do CONTRAN e outras dicas que servem apenas para aumentar a sua visibilidade nas ruas. Primeiro ponto: acessórios.
Adquira refletores que, de acordo com o CONTRAN, devem ter alcance de visibilidade mínimo de 30 metros, acoplando-os na dianteira da bicicleta (cor branca ou amarela), na traseira (cor vermelha), nas laterais e nos pedais (qualquer cor). A natureza desses refletores tem variado desde o mais simples olho de gato até produtos diferenciados como os da empresa Bicygnals. Algo que tem sido bastante utilizado é a lanterna traseira “pisca-pisca”, por chamar mais a atenção dos motoristas.
Além dos refletores, faróis são muito importantes para a própria segurança. Afinal, não só o ciclista tem de ser visível, mas também, tudo aquilo que está à sua volta. Esse acessório não é obrigatório, então o seu uso vai de acordo com a necessidade de cada biker. Na hora de escolher um modelo, observe a potência de cada um. Um farol pouco potente, não serviria para quem quer fazer uma trilha ou andar num caminho muito escuro, e os faróis com potência mais próxima dos 10 watts tem a desvantagem de, por demandar muita energia, utilizar-se de baterias especiais recarregáveis (mais caras e mais pesadas).
Outra dica é adquirir fitas reflexivas e colá-las no capacete, na sapatilha, jaqueta ou mochila. Se ao menos o capacete estiver com os adesivos reflexivos (de preferencialmente com o mesmo padrão de cor vermelha nos refletores traseiros e branca nos refletores dianteiros), o índice de visibilidade já terá aumentado.
Uma última dica é com relação à mudança de direção. Enquanto outros veículos sinalizam a conversão com as “setas”, o ciclista precisa sinalizar com o próprio corpo, esticando o braço na direção em que você deseja ir. Isso é essencial para evitar acidentes na hora de cruzar uma rua ou avenida ou virar uma esquina, por exemplo.
Até mesmo para esses momentos existem sinalizadores especiais, como as luvas refletivas da empresa Suck, como mostrado pelo site Eu Vou de Bike, e existe inclusive um aplicativo para Ipad em fase de testes que, acoplado a um colete, indica a direção para a qual o ciclista está virando.
Se cobramos melhor postura e cumprimento das leis por parte dos motoristas, é melhor fazermos a nossa parte para contribuir por um trânsito mais seguro e mais pautado nas leis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário